O exercício da atenção e da escuta afetiva na resolução de conflitos na sala de aula

Na função docente o ouvido deveria ser o principal instrumento de trabalho do professor e não a boca. Não é pelo muito falar que seremos ouvidos. Falar muito, gritar, adoece. Ouvir com atenção e interesse, porém, cura os sentimentos e as relações no convívio escolar. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!

OUVINDO OS ALUNOS

1. Histórias de Perdas

2. Histórias de Rejeição

3. Histórias de Violência

4. Histórias de Fome de Pai

5. Histórias de Curas Emocionais Afetivas

O QUE UM POUCO DE ATENÇÃO NÃO RESOLVE

Por que ouvir os alunos em suas carências e necessidades afetivas e emocionais?

“A biologia do amar é o fundamento biológico do mover-se de um ser vivo, no prazer de estar onde está, na confiança de que é acolhido, seja pelas circunstâncias, seja por outros seres vivos. No caso dos seres humanos, isto é central na relação do bebê com sua mãe, com seu pai, com seu entorno familiar, que o vai permitir crescer como uma criança que vai ser um adulto que se respeita por si mesmo. Se você observa a história de crianças que se transformam em seres, chamemos assim, anti-sociais, vamos descobrir que sempre tem uma história da negação do amar, de ter sido criado na profunda violação de sua identidade, na falta de respeito, na negação de seu ser. Por isso, não traiam as crianças! Não prometa acolhê-las e ouvi-las quando os vai desconsiderá-las. Não prometa que vai levá-las a brincar quando vai ordená-las que se sentem e fiquem quietas. Isso gera dor e produz sentimentos, por que é uma negação de nossa condição amorosa.”

HUMBERTO MATURANA

OUTRAS FORMAS DE ESCUTA AFETIVA

Quem sou Eu? Eu Sou um Iceberg!

​O Iceberg é um bloco de gelo que se desprendeu do continente e flutua à deriva, sem destino, ao sabor das correntes, em meio ao vasto oceano da vida. Muitos de nossos alunos vivem como blocos flutuantes, congelados em seus sentimentos e emoções. O que eles escondem?  O que trazem escondidos dentro de si e que não são capazes de revelar? Com habilidade e afetividade, o professor pode através dessa atividade levar o aluno a refletir sobre seus problemas, levando-os à cura de suas feridas interiores e escondidas.

Nada que um bom e cuidadoso “ iceberg” não possa revelar sobre os segredos daqueles alunos que não conhecemos e não valorizamos.

Diário das Emoções: registrando as emoções vividas

Disco da Afetividade: conhecendo o perfil afetivo dos alunos

Afetômetro: Conhecendo o perfil afetivo da turma

Cartografia do Afeto: Criando e recriando uma geografia do afeto

Mapa do Coração:

Alegoria Autobiográfica de Guimarães Rosa

© 2023 The Journalist. All rights reserved.